A repressão contra os professores nas universidades latino-americanas durante a ditadura: os casos da UFMG (1964-1969) e da UTE (1973-1981)
 
Resumo:
A partir da análise comparativa da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e da Universidad Técnica del Estado (UTE), o artigo objetiva compreender como ocorreu a repressão contra os professores nas duas instituições e quais suas semelhanças e diferenças. Para este estudo foram consultados: o arquivo do extinto Departamento de Ordem Política e Social (DOPS/MG); o Diário Oficial brasileiro e chileno; arquivos internos da UFMG e UTE; os arquivos chilenos do Ministerio de Educación Pública; informes das comissões de ambos os países; o arquivo da Vicaría de la Solidaridad; e entrevistas, realizadas pelo autor e por outros pesquisadores, com ex-professores perseguidos na época. A pesquisa revela que a repressão política na UTE foi mais intensa que na UFMG, o que se relaciona com a própria polarização vivida pela sociedade em cada país, mas também mostra que ambas as repressões possuem detalhes que muitas vezes não se encontram na memória coletiva sobre as ditaduras.
 
Palavras-chave:
Ditadura, Universidades, Professores, Repressão, América Latina.