“Sem uma boa educação não há bons trabalhadores… bons cidadãos… bons chilenos”. O sentido da educação no projeto modernizador da Ditadura chilena (1979-1981)

 

Resumo:

O objetivo do artigo é compreender o discurso pedagógico que deu sentido ao projeto educacional da Ditadura chilena (1973–1990). A hipótese que guia a pesquisa é que ele se consolidou entre 1979 e 1981, e foi dominado pelas noções de que a educação devia inculcar habilidades e valores funcionais ao mercado laboral neoliberal, que serviram a obediência cívica em um marco gremialista autoritário e que permitiram a implantação de um nacionalismo conservador. Isso se produz a partir de três instâncias: a difusão da Diretiva Presidencial Sobre Educação Nacional de março de 1979, a promulgação da Constituição ditatorial de 1980 e a publicação - entre 1980 e 1981- de novos planos e programas escolares. Em nível analítico se releva a noção de discurso pedagógico proposta pelo sociólogo da educação Basil Bernstein. Para reconstruir o processo temos recorrido a documentação oficial e imprensa escrita.

 
Palavras-chave:

Ditadura militar - Discurso pedagógico - Planos e programas escolares.