Funcionários do governo e políticas educacionais na Argentina (1976-1983)
 
Resumo:
Este artigo explora os caminhos e as medidas tomadas pelos ministros da cultura e da educação durante a ditadura, observando duas áreas de intervenção: o sistema educativo não universitário e universitário. Primeiro, notamos que os líderes militares concordaram com a necessidade de erradicar a "subversão" e aprovaram os documentos que eram o fundamento ideológico da repressão e da política de educação. Em segundo lugar, vemos que eles concordaram com a ideia de "reduzir" o sistema educacional- particularmente o universitário- que tinha se difundido no período anterior. Finalmente, mostramos que ocorreram muitos conflitos sobre a questão orçamentária. As tensões originadas por esta e outras questões, fez com que o Ministério da Cultura e Educação se tornasse o mais instável de todo o regime.
 
Palavras-chave:
Ditadura, Argentina, políticas educacionais, funcionários, universidade.