Educação, para quê? Nascimento e ocaso do ideal da educação geral no marco da reforma alemã no Chile (1883-1920)

 

Resumo:

O artigo se enquadra em termos teórico-metodológicos nos estudos de transferência e recepção e tem por objetivo reconstruir a emergência, os princípios, os ideólogos e a crise do ideal educativo denominado educação geral, introduzido durante a reforma alemã (1883-1920). Baseado em fontes históricas, que recolhem, sobretudo a voz dos reformadores chilenos, os resultados do trabalho são os seguintes: primeiro, que este ideal, ainda inspirado nos modelos alemães (especificamente herbartianos), constituiu algo novo e único. Segundo, que o ideal buscava essencialmente formar ao “cidadão”, entendido como uma nova categoria jurídica inclusiva que devia superar as classes sociais e gêneros. Terceiro, que a inícios do século XX a hegemonia do ideal foi desafiada pela emergência de outro ideal, o da eficiência social; processo que veio junto com a construção dos EE.UU. como nova “sociedade de referência”. O artigo propõe em termos teóricos que os ideais educativos são essencialmente construtos dinâmicos, sujeitos a contextos específicos e lutas político-ideológicas, pelo que, ainda sendo hegemônicos, coexistem com outros ideais educativos.

 

Palavras-chave:
Ideal educativo – Sociedade de referência – Reforma alemã – Educação geral – Eficiência social.